Marcelo Marques

Pará ganha novos vôos regionais

imageAté o final do mês Marabá, Ourilândia e Redenção terão restabelecidas suas rotas aéreas. O Pará aderiu ao programa de aviação regional do governo federal e com isso vai conseguir recuperar e ampliar, inicialmente, quatro dos seus 23 aeródromos. A maioria deles está em situação muito precária, são meros campos de pouso. As melhorias incluem pistas, balizamento para voos noturnos e terminais de passageiros, além de itens de segurança como veículos de combate a incêndio. Os recursos já estão garantidos e são oriundos das outorgas onerosas de aeroportos.

O secretário de Estado de Transportes, Kleber Menezes, negociou com o então ministro da Aviação Civil e priorizou os aeródromos de Redenção, Itaituba, Breves e Paragominas, pelos critérios de saúde e segurança: os quatro têm ou estão para ter hospitais regionais. Kleber também já acertou com a empresa Piquiatuba que a reconstrução do aeródromo de Salinas vai permitir a implantação de uma linha aérea costeira na rota Belém/Salinas(PA)/Barreirinhas(MA), Parnaíba(PI)/Jericoacoara(CE), além de uma sonhada integração com o voo direto de Lisboa, através de code share, sem precisar pagar o agregado (codeshare é um acordo de cooperação pelo qual uma companhia aérea transporta passageiros cujos bilhetes tenham sido emitidos por outra companhia. O objetivo é oferecer aos passageiros mais destinos do que uma companhia aérea poderia oferecer isoladamente).

Em Soure, o recentíssimo voo direto de Belém já se reflete em hotéis, restaurantes, operadoras de turismo, pousadas e mototaxistas, com incremento nas atividades em 30%.

O Pará lançou mão de renúncia fiscal de receita, num momento de crise econômica nacional, e incentiva novas rotas dentro do Estado e as internacionais. São oito municípios no ‘Voe Pará’. Adnan Demachki, secretário de Estado de Desenvolvimento, Mineração e Energia e ex-prefeito de Paragominas, destaca a importância estratégica do Voe Pará, dentro do programa de investimentos “Pará 2030”, no sentido de ampliar a integração e melhorar a acessibilidade no Estado.

A rota do “Voe Pará” é feita por um avião Gran Caravan, fabricado pela norte-americana Cessna. É certificado como um dos aviões monomotores de alto nível de segurança. A Two-Flex é a empresa que opera as rotas para Soure, Breves e Paragominas. Os voos Belém-Soure são às segundas e sextas-feiras, com saída da capital às 11 h e chegada às 11:20h. A viagem de retorno decola às 11:40h e pousa em Belém às 12h. O voo Belém-Breves tem frequência de duas vezes na semana, às terças e quintas-feiras, com partida de Belém às 13h e chegada às 13:55h. O voo de retorno sai de Breves às 14:15h, com pouso na capital paraense às 15:10h. A rota Belém-Paragominas tem voos toda quarta-feira, com decolagem às 11 h e chegada às 11:55h. A volta sai às 12:15h, com pouso em Belém às 13:10h.

O programa “Voe Pará” é aberto a qualquer companhia aérea que se enquadre nos requisitos exigidos pelo governo do Estado. Já estão cadastradas as empresas TWO, Pema e Piquiatuba. O programa estimula que as empresas mantenham suas linhas áreas atuais e criem outras linhas para o interior, iniciando já com nove destinos. Algumas linhas partirão da capital para cidades que já têm voos regulares, como Marabá, e seis novas linhas para municípios que não dispõem de transporte aéreo regular de passageiros, como Ourilândia do Norte, Redenção e Tucuruí.( Franssinete )