Marcelo Marques

Bernardinho está fora da seleção brasileira e cobra o “legado olímpico”.

imageBernardinho, ex-técnico da seleção brasileira de vôlei, disse nesta terça-feira estar preocupado com o futuro do esporte no país após a Olimpíada do Rio. Em entrevista ao canal SporTV, o bicampeão olímpico cobrou sequência do legado dos Jogos e criticou a falta de incentivo ao esporte nas escolas. “A Olimpíada foi linda, mas por enquanto o que vimos de legado? Nada. Se me perguntarem qual é o grande legado olímpico, falo: é mostrar para milhões de jovens que eles têm de acreditar, que é possível. As histórias do Serginho, Rafaela Silva, Isaquias. Isso é legado olímpico, não um grande ginásio, que não está em uso. É bom termos este ginásio, mas não é o mais importante. Existe esporte de qualidade nas escolas públicas hoje? É exceção da exceção.”

Bernardinho segue treinando o Rio de Janeiro, que lidera a Superliga feminina de vôlei. Formado em Economia, Bernardinho não descarta uma carreira como gestor esportivo ou até mesmo na política. “O esporte brasileiro precisa de tanta coisa. Quem sabe eu não possa lutar por isso, mudar o sistema do esporte brasileiro? Essa história de me lançarem candidato ao governo do Rio começou em 2014: dois partidos fortes que me veem como um personagem interessante para, digamos, abraçar uma bandeira. Tudo começa com uma causa.” Veja